AMOR VERSUS KARMA

Compartilhe este post

Share on facebook
Share on linkedin
Share on twitter
Share on email

Relações cármicas fazem parte do nosso crescimento evolutivo nessa realidade tridimensional. Podemos experimentar uma relação cármica com amantes, irmãos, filhos, pais, amigos e colegas de trabalho.

A grande maioria das pessoas confunde relações cármicas com alma gêmea ou complemento divino (chama gêmea).

A alma gêmea é diferente do complemento divino (chama gêmea). Considerando que cada um de nós tem apenas uma chama gêmea, podemos ter muitas almas gêmeas. As almas gêmeas também fazem parte da mesma essência monádica, mas não da mesma fração, do mesmo ovoide de fogo. Assim, mesmo sendo da mesma essência divina não se fundem no mesmo ovoide como é o caso das chamas gêmeas.

Almas gêmeas compartilham uma missão comum e estágio comparável de desenvolvimento espiritual. Elas vêm juntas, porque elas estão trabalhando no mesmo tipo de karma e o mesmo chacra simultaneamente. Então almas gêmeas têm uma atração que é baseada no trabalho sagrado e no caminho do autodomínio. A alma gêmea é como o eco de si mesmo em matéria de trabalho, na mesma tarefa a cumprir no plano para Deus. Essas relações espirituais tendem a ser harmoniosas e satisfatórias, e essas almas afins podem realizar grandes coisas juntos.

As Chamas gêmeas foram criadas juntas no início e partilham um destino único. Criado em um único ovoide de fogo, elas foram separadas em duas esferas de ser- um em uma polaridade masculina e outra em uma polaridade feminina-, mas cada um com o mesmo padrão de identidade divina. Apesar de passar algumas vidas juntas e outras vidas à parte, seu vínculo é eterno, e depois de terem voltado e se conectado com o seu Eu Superior elas vão subir e ficar juntas para sempre. É muito raro chamas gêmeas se conectarem em uma realidade tridimensional tendo em vista que ambas se encontram em um nível evoluído de consciência. O reencontro geralmente ocorre em frequências de dimensões superiores.

Por fim, há a relação cármica onde dois indivíduos são desenhados em conjunto para o equilíbrio do carma mútuo. O empate cármico pode ser o mais apertado de todos e começar com a atração mais forte. Isto é porque a alma tem um profundo desejo de ser livre, e sabe interiormente que esta conexão é a chave para a resolução por meio do equilíbrio do karma que esta relação oferece, sendo na maioria das vezes dura, onde paira a violência, o ódio, o abandono ou mesmo a morte.

As relações cármicas são previamente acordadas antes da reencarnação com o objetivo de compartilhar, aprender, curar, resolver problemas de vidas passadas/paralelas, perdoar e crescer.

Existem várias características que definem relações cármicas, mas as mais óbvias são:

  • sensação de que já conhece o outro em algum nível mesmo que não saiba explicar como e quando.
  • forte atração, e muitas vezes inexplicável (o tipo que não podemos justificar a nós mesmos, muito menos a família ou amigos)
  • uma tendência para que o relacionamento se torne dominante ou talvez até mesmo a nossa única relação.
  • uma conexão emocional ou física profunda, muitas vezes, que tendo uma qualidade viciante
  • incapacidade de afastar-se deste tipo de relacionamento. Sentimento da necessidade de ficar na relação, mesmo que seja difícil, de modo que você pode trabalhar através ou resolver alguma coisa.

Normalmente relações cármicas servem para unir duas pessoas por um propósito definido, e uma vez que esse efeito é alcançado, o “propósito cármico” é quebrado e o relacionamento perde a sua atração. Olhando para trás, você pode se perguntar o que uniu você aquela pessoa!

O grande problema neste tipo de relação cármica é que ela se torna extremamente destrutiva e as partes envolvidas não conseguem estabelecer um ponto de equilíbrio o que as leva na grande maioria das vezes a não cumprirem o propósito almejado anteriormente afetando drasticamente as futuras relações afetivo-emocionais e amarrando os parceiros em vidas sucessivas.

Algumas relações cármicas poderão permanecer para toda a vida, e se um dos parceiros morre antes do outro aquele que permanece não vai encontrar alguém para substituir esse amor e esse sentimento de conexão profunda perdurará mesmo que essa pessoa tenha um novo parceiro. Para que haja total libertação é necessário curar o padrão cármico envolvido na relação obtendo assim o aprendizado que a alma precisa alcançar.

Neste tipo de situação se aconselha a buscar a cura deste tipo de relação para que o padrão cármico não se estenda por inúmeras encarnações o que pode fragmentar partes de alma dos envolvidos gerando grande sofrimento.

Maiana Lena- terapeuta energética e espiritual

 

Artigos relacionados

Sem categoria

Você é a ovelha negra da família?

A “ovelha negra da família” é um termo que se refere a um membro da família que é considerado, peculiar, estranho, não convencional, excêntrico ou

Artigos

Dissolvendo Camadas Dimensionais Inferiores

O processo de dissolver as camadas de energia dimensionais inferiores dentro do campo de consciência e transmutar seu conteúdo de partícula para a próxima banda dimensional de